domingo, 4 de maio de 2014

Os 5 passos da sabedoria...

 

Por Içami Tiba

Estes 5 passos mostram o que acontece com a pessoa no seu comportamento à medida que seus conhecimentos se ampliam, isto é, sua performance cresce.

ETAPAS DOS PASSOS DA SABEDORIA:

1. Ingenuidade
            Os brasileiros viviam bem com os seus automóveis. Até que o presidente Collor os chamou de “verdadeiras carroças”. Ofendeu muitos ignorantes. Depois que conheceram como eram os carros atualizados, os brasileiros concordaram com Collor.
            Quem tinha a “carroça” estava orgulhoso do seu carro. Mas ele não sabia que o carro dele já estava muito ultrapassado em relação aos carros estrangeiros. Do mesmo modo, a ingenuidade leva a pessoa a acreditar que está fazendo o melhor, que sua performance está excelente.

O ingênuo nem sabe que não sabe.

2. Descoberta
            Pelos comentários que recebe das pessoas, a pessoa ingênua acaba descobrindo que nem sabia que não sabia. Agora descobriu que não sabe. Toda descoberta leva a um dilema. Permanece-se como está ou se avança para um mundo novo? Os que permanecem ficam defasados, obsoletos e complexados, pois agora sabem que não sabem. Os que avançam descobrem novidades e novas oportunidades que não enxergavam antes.
          Aquilo que não sabia, e agora é claro, passa a envergonhar as pessoas.

Agora ele sabe que não sabe.

3. Aprendizado
            É do humano ser curioso, querer saber mais, querer conhecer, querer aprender. Para isso conta com os cinco sentidos da sensopercepção: ver, ouvir, cheirar, saborear, tatear.
         O não querer aprender tem várias causas: falta de motivação, dificuldade em encontrar quem ensine, trauma psicológico, sofri- mentos etc. Trauma é quando o ensinante é horrível porque ele grita, agride, ofende, é rigoroso, é exigente, é tirano etc. O aprendiz sofre tanto que aniquila dentro de si o interesse em aprender.
            É neste passo que acontecem as seis etapas da construção de cada conhecimento.

Então,ele aprende o que não sabe.

4. Experiência
            Quando o humano aprende algo, quer experimentá-lo, imaginá-lo funcionando e confirmar pela ação prática. Essa experimentação confirma a viabilidade prática. Na experiência, o humano usa tudo o que já conhece, para testar algo novo.
            Na mitologia grega, Ícaro foi o primeiro homem a voar com asas feitas de penas de aves, coladas com cera e movidas pelos seus braços. Mas ele não poderia voar tão perto do Sol que derretesse as ceras e nem tão próximo ao mar que molharia as penas. Sentiu-se tão atraído pelo Sol que foi em sua direção, as ceras derreteram e Ícaro morreu ao cair no mar. Não adianta pôr asas de pássaros em peixe que ele não voa. Nem o humano voou, apesar de ser possível imaginá-lo voando.

Ele experimenta o que aprendeu.

5. Sabedoria
            Quando os resultados das experiências são bons, o humano os põe em prática, isto é, usa-os como se já fossem velhos conhecidos, ou seja, sabe do que precisa, como fazer e que resultado esperar.
          De tanto fazer, a pessoa nem precisa mais pensar para fazer. Simplesmente faz. A dificuldade existe para quem não conhece, isto é, ainda nem experimentou. Quem sabe dirigir senta e dirige. Não fica pensando quais instrumentos acionar para se movimentar. Simples assim. Quem tem muitos conhecimentos é considerado sábio, e o que ele tem é sabedoria.
            É nesse estágio que ele constrói novos conhecimentos, que outros ainda nem sabem que existem. Ele trabalha com vários conhecimentos já construídos e descobre novos conhecimentos.

O sábio nem se lembra do que já sabe, pois quer aprender sempre.

(Fonte:livro“Família de Alta Performance – Conceitos contemporâneos na Educação”,de Içami Tiba – Integrare Editora)

Fraternos Abraços 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços