domingo, 18 de janeiro de 2015

Responsabilidade Universal


Quando negligenciamos o bem-estar dos outros e ignoramos a dimensão universal de nossos atos,fazemos uma distinção entre nossos interesses e os interesses dos outros.

Não nos damos conta da uniformidade da família humana.Sem dúvida,é fácil apontar numerosos fatores que se opõem a essa noção de unidade: diferenças de crença religiosa,de língua,de costumes,de culturas,etc.

Se,porém,damos demasiada ênfase a diferenças superficiais e por causa delas fazemos rígidas discriminações,não há como evitar um acréscimo de sofrimento e desgaste para nós e para os outros.O que não faz sentido. 

Já temos problemas demais neste mundo.Todos,sem exceção,temos de enfrentar a morte,a velhice e as doenças,sem falar nas perdas e decepções.Estas não temos mesmo como evitar.Não é o bastante?Para que criar problemas desnecessários por causa de maneiras diferentes de pensar ou peles de cores diferentes?

Avaliando essas realidades,vemos que a ética e a necessidade pedem uma mesma reação.Para superar nossa tendência de ignorar as necessidades e direitos dos outros,precisamos continuamente lembrar a nós mesmos o que é óbvio:que basicamente todos somos iguais.

(Para ler o texto na integra veja:www.budavirtual.com.br)
(fonte:www.facebook.com/budavirtual)
(trecho do livro:Ética Para o Novo Milênio)

Amor,Luz e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços