terça-feira, 19 de setembro de 2017

Alimentação Saudável


É evidente o excesso de informação sobre alimentação que é publicado diariamente por meio dos canais de comunicação. Algumas carregam sim, verdades, outras são contraditórias e muitas vezes seguem as tendências do “modismo alimentar".

Se alimentar de forma saudável é muito mais simples do que se pensa. Todavia, isto não envolve apenas a busca por alimentos “mais saudáveis”, ou seja, é necessário que estes alimentos sejam adequadamente manipulados, higienizados, combinados e preparados. Para assim, fornecer os nutrientes necessário para o funcionamento do organismo.

Quando digo alimentos “mais saudáveis” me refiro aos alimentos in natura, ou seja, os que são adquiridos diretamente de plantas e animais e que não sofrem nenhum processamento, aquele “do agricultor”, por exemplo: frutas, verduras, ovos, laticínios, tubérculos (mandioca, cará, batata doce) entre outros. Alguns produtos minimamente processados como cereais (arroz e milho), leguminosas (feijão, grão de bico e ervilha), cortes de carnes resfriados ou congelados, leites pasteurizados podem também ser inseridos no cardápio.

Ao contrário, alimentos ultra processados como: hambúrguer, embutidos, macarrão instantâneo, entre outros, são adicionados de compostos como gorduras de qualidade ruins, açúcares, sódio, realçadores de sabor, corantes, acidulantes, entre outros, que aumentam o tempo de vida do produto no supermercado além de dar “mais sabor”. Todavia, o seu organismo não se beneficia com o consumo.

Obviamente, a composição de um plano alimentar saudável é determinada pela necessidade nutricional, objetivos e rotina de cada indivíduo, por isto há a necessidade de um bom profissional para realizar o acompanhamento. Todavia, de uma forma simples, pode-se dizer que as 3 principais refeições do seu dia: desjejum, almoço e jantar precisam estar compostas por alimentos classificados como:

Construtores (Proteínas) = peixes, aves, ovos, laticínios, leguminosas (feijão, grão de bico, ervilha, etc.);

Reguladores = frutas e verduras;

Energéticos (Carboidratos e Gorduras boas) = arroz integral, massas integrais, pães integrais, tubérculos (batata, mandioca, mandioquinha, etc.), milho cozido, azeite de oliva extra virgem, oleaginosas (castanha do pará, nozes, amêndoas, etc.).

Assim, você pode compor o seu Café da manhã com: queijo branco (construtor) + pão integral (energético) + fruta (regulador) ou iogurte natural (construtor) + cereais integrais sem açúcar e xaropes (energéticos) + fruta (regulador). É óbvio que a quantidade precisa ser controlada. Os exageros alimentares também não são adequados para o seu corpo.

A necessidade dos lanches intermediários é determinada por cada paciente. Obviamente, existem estudos que apontam a importância da alimentação de 3 em 3 horas. Todavia, clinicamente isto é muito variável e desta forma, precisa ser avaliado e respeitado. Mas, em se tratando dos lanches é sempre interessante, se necessário, compor eles com oleaginosas ou iogurtes + frutas. Estas combinações ajudam a saciar.

Além destas regras é importante que você tente fazer as refeições em horários semelhantes, evite beliscar, coma sempre devagar e desfrute do que está comendo, sem se envolver em outra atividade. A atenção a alimentação é importante. Quantas vezes você coloca no prato um volume de alimentos muito maior do que a sua necessidade? Já parou para observar que você pode se sentir saciado antes de finalizar os alimentos que estão no prato?

Saiba que uma boa alimentação depende, da junção de dois aspectos básicos: variedade e moderação. Quanto mais alimentos saudáveis e diferentes você consumir, melhor para o seu organismo. Todavia, não se esqueça que mesmo assim, há a necessidade de se consumir com moderação.


Fraternos Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços

Elo7Em Construção