quarta-feira, 16 de abril de 2014

Dominando a ira


“Se tens um inimigo,o maior mal que podes causar,não a ele,mas a si mesmo,é permitir que o ódio penetre em tua alma e abra um sulcro inapagável.” 
Fosdick

Para dominar esta emoção será útil conhecer sua trajetória psicológica.
A injustiça,o insulto ou o incomôdo chegam pelos sentidos ou pela imaginação até o córtex cerebral.Se o concebemos como contrários ‘a nossa vida,saúde,honra ou iseal,formamos um destes três conceitos práticos:”EU,ELES,AQUILO”

EU:Com estas qualidades e méritos não mereço esse trato.Meu parecer e vontade devem ser respeitados.
ELES:São injustos,cruéis,ingratos,insuportáveis,Devm ser castigados.
AQUILO:(O acontecimento).É injusto,intolerável,perigoso.

Este conceito,principalmente se é muito forte,sensível e prolongado,estimula o hipotálamo,sala das máquinas da emoção.Automáticamente,se põe,então,em atividade o sistema nervoso autonômo.Este,quer por si mesmo,quer pela simpatina e adrenalina,põe em rápida comoção o coração,estômago,pulmões,músculos,víceras,etc.Ao mesmo tempo nos invade o sentimento de desgosto e de antipatia.

Isto é,o que os filósofos e moralistas clássicos chamaram “Motus primo primi”,em que não há responsabilidade,e que difícilmente podemos controlar.
A única coisa que podemos fazer é:ou evitar o excitante ou,pelo menos,sua lembrança e duração.Podemos,sobretudo,evitar ou modificar o juízo prático:EU,ELES,AQUILO,pela distração e,melhor ainda,pelo pensamento contrário,mediante uma educação adequada.Se fazemos isto,a comoção passa logo,sem deixar marca duradoura ou profunda.

(extraido do livro*Controle Cerebral e Emocional*Narciso Irala)

Fraternos Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços