quinta-feira, 1 de maio de 2014

Como parar de brigar com a própia mente?




Se tu prestas atenção agora em seus pensamentos e em seus sentimentos, começas então a ter uma compreensão maior sobre sua própria mente. A maior parte do tempo parece para nós que a mente está lá nas mais profundas entranhas psíquicas do nosso ser, e que não temos como ter acesso a este ponto, então imaginamos que neste local deve ter muitas outras maravilhosas informações e que seria maravilhoso se um dia tivéssemos acesso a este arsenal de respostas.

Uma pessoa que prestar bastante atenção muito carinhosamente aos seus pensamentos e sentimentos, começará a ver que as suas mais profundas entranhas psíquicas são completamente visíveis, e fica claro que é a mente que está brigando consigo mesma, ou seja,  a mente fica procurando a mente, quem está tentando encontrar a mente não é o sentimento e nem o pensamento, mas sim a parte que percebe os sentimentos e os pensamentos.

Afirmo-vos, quanto mais tu prestas atenção nos sentimentos e pensamentos, mais profundamente estarás percebendo que tu não és eles, mais claro fica a sua própria sabedoria e assim a mente fica cada vez mais calma, e a sua sabedoria fica mais manifesta, mais ativada e qualquer luta para querer mudar seu estado mental vai cessando.

Quanto maior a percepção destes três estados completamente possíveis de serem percebidos por qualquer pessoa, sentimentos, pensamentos e a parte do eu que percebe estes dois, maior será a entrega ao momento presente, mais a sua sabedoria fica consciente, maior será a sua percepção do que é nosso mental.

A percepção acalma a mente porque nos faz perceber o aqui e agora, e perceber o agora é nos permitir neste momento um pouquinho mais amar e ser amado, e sendo o amor a própria sabedoria, perceber o amor e estar na paz deste momento, “Aqui e Agora”.

Perceba o simples que é! Parar a mente não é fazer alguma coisa, a mente “serelepe” não vai parar porque você fez algo, é milhares de vezes mais simples do que você imaginava, basta somente ficar apenas observando o saltitar mental sem fazer nada, assim que surge o observador com zero de esforço o saltitar mental cessa completamente.

Meditação, “me ditar”, dizer algo para mim mesmo sem falar nada, apenas observar a si mesmo, isto é dar o maior dos carinhos para a nossa própria mente, e assim consequentemente perceber a voz do silencio.

(fonte:www.multiajuda.com.br*Amadeu Wolff)

Fraternos Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços