terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Por Flávio Gikovate


Fica claro também que as afinidades passam a ser peça essencial dos novos elos amorosos,pois implicam menos diferenças,conflitos e dilemas.
Uma boa fórmula para conciliar individualidade e amor é a união de pessoas com afinidades de gostos e interesses,estilo de vida e caráter.
É importante perceber como as mudanças tecnológicas exigem alterações no modo de vida cotidiana de todos nós:a adaptação nem sempre é fácil.
As escolhas sentimentais terão que acontecer de forma mais racional,levando em conta os aspectos práticos relativos à qualidade do convívio.
No passado as famílias escolhiam os parceiros de seus filhos;só levavam em conta aspectos práticos;hoje temos que voltar a valorizá-los!
É claro que as escolhas atuais também devem levar em conta os aspectos eróticos e amorosos;porém, convém reintroduzir o elemento racional.
A escolha sentimental madura,a que tem boa chance de ser duradoura,necessita de três avais:
o erótico,o do coração e também o da razão.
Se encantar por uma pessoa não muito adequada é sinal de imaturidade:
 para os mais evoluídos,não existe antagonismo entre a razão e o amor.


Luz à Todos(as)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços