sexta-feira, 20 de março de 2015

Vício emocional


Estamos vivendo em uma era de alienação.
Apesar de já sabermos da importância do autoconhecimento ainda nos distraímos com as,cada vez mais acessíveis,oportunidades de distração e isto nos conduz a uma perniciosa automação de nossas ações,assim como pensamentos,emoções e comportamentos com resultados muitas vezes contrários ao que gostaríamos.
Parece que temos uma tendência a fixarmos,como hábitos,as coisas negativas ou,no melhor dos casos,as não positivas.
Como qualquer outro aprendizado,os hábitos impróprios ou descartáveis são adquiridos aos poucos,pela repetição e insistência.O curioso,é que na prática voltamos muitas vezes às experiências que não são tão positivas,talvez pelo fato de nossa sociedade valorizar o negativo e,desta forma,por hábito cultural tendemos a nos aproximarmos deles com mais facilidade do que aos positivos.
Da mesma maneira que adquirimos hábitos alimentares desfavoráveis como a ingestão de refrigerantes,excesso de café,frituras,alimentos gordurosos,excesso de doces e outros,temos a mesma tendência para a repetição de pensamentos,emoções e comportamentos negativos, ou não produtivos.
A diferença é que os maus hábitos alimentares podem ser vistos em ação fisicamente e suas consequências também,enquanto os maus pensamentos,as emoções negativas e os comportamentos inadequados não são tão facilmente visíveis.
Esta característica dificulta sua percepção e eliminação,desta forma os repetimos indefinidamente,assim como suas consequências,sem ligarmos umas as outras.
Temos uma inclinação a repetir pensamentos negativos e suas consequentes emoções na intenção ineficaz de nos livrarmos deles.É muito comum ficarmos repetindo mentalmente situações que nos impingiram sofrimentos,reprisamos inúmeras vezes as cenas em diversos ângulos,aprofundando o sofrimento e reforçando nossa incapacidade de superar o evento.
Não é à toa que a Bíblia nos recomenda que vigiemos pensamentos,palavras e obras,pois é assim que a nossa realidade particular se materializa em nossa vida.
Toda vez que não ocupamos nosso espaço interno com coisas positivas,acabamos fazendo o mais fácil que é ocupa-lo com coisas negativas.
O que incomoda é o vazio,e o vazio na realidade é a ausência das boas coisas,mas preferimos, inconscientemente,ir para as negativas,afinal sempre foi mais fácil corromper do que converter.
É mais cômodo ficarmos lamentando um momento ruim do que nos focarmos nos possíveis momentos bons que poderemos ter,e mesmo nesses momentos ruins não conseguimos nos lembrar dos muitos momentos bons que já tenhamos vivido.
Se acordamos de mau humor um dia e repetimos o modelo no dia seguinte, já é hora do alarme soar e promovermos uma mudança imediata nesta postura,sob a pena de virar um hábito e depois um vício.
Da mesma forma que algumas pessoas se viciam em tabaco ou álcool por utilizá-los como proteção,como compensação por não saberem lidar positivamente com algumas situações, outras usam pensamentos,emoções e comportamentos para os mesmo fins e com consequências tão devastadoras quanto.
Nestes processos nos colocamos facilmente na condição de vítimas e acabamos por aceitar passivamente os prejuízos do que está ocorrendo sem reagirmos,ou liberamos muita raiva, revolta e atiramos sem mirarmos no alvo e,na maioria das vezes,erramos nossos tiros e somos obrigados a assumir as penalidades por isto.Seja como for,nunca é um processo produtivo de aprendizado,mas sim uma repetição impensada de protocolos inapropriados que nos faz parecer um carro desgovernado,um parafuso espanado que por mais que tentamos não conseguimos apertar.
Temos que estabelecer um programa de aprendizado em sentido contrário ao que temos feito para consolidar os vícios e promover as virtudes,pensamentos,emoções e comportamentos positivos.
No início poucos terão pleno sucesso,mas a insistência e a determinação vão sedimentando novos estados positivos e reações adequadas.
Apesar de sermos impulsionados a escolhermos reações negativas,nossa natureza é positiva, vivemos para evoluirmos e sermos felizes.
Quando enfrentar uma situação adversa não seja mais um problema,seja parte da solução.Pare,pense coisas positivas,lembre-se das suas conquistas,pense nas pessoas que ama e que lhe amam também,ouça músicas que levem você a momentos felizes, lembre-se de bons momentos,acredite que é capaz de superar a dificuldade,seja ela qual for,ore,encontre sua fé e lembre-se da orientação bíblica em Romanos 8:31:Que diremos,pois,a estas coisas?Se Deus é por nós,quem será contra nós?
Procura a satisfação de veres morrer os teus vícios antes de ti. Sêneca
O vício,tal como a virtude,cresce em passos pequenos. Jean Racine
Não nos libertamos de um hábito,atirando-o pela janela;é preciso fazê-lo descer a escada,degrau a degrau.  Mark Twain
Um homem inteligente transforma os vícios em virtudes,mas o tolo transforma as virtudes em vícios.  Orhot Tsadikim
Por Serg Rios Alves

(fonte:www.institutoavalon.com.br)

Fraternos Abraços


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços