quinta-feira, 2 de abril de 2015

Não sou mais boazinha


Hoje estava pensando nas vezes que eu disse não e queria dizer sim.
Nas vezes que disse sim e queria dizer não.
Nas vezes que pedi salada,mas queria pedir lasagna;que pedi gelatina,mas queria pedir petit gateau com bastante sorvete.
Nas vezes que eu disse "vai",e queria dizer "fica" e nas vezes que queria dizer "some!" e me obriguei a ser humana e tolerar.
Nas vezes que sorri para esconder a cara feia.
Nas vezes que disse "faça o que seu coração mandar" quando queria dizer "se fizer isso você tá f.." 
Nas vezes que queria dizer "vá para o inferno",e disse "tudo bem,não foi nada não".
Nas vezes que retribui comportamento ruim com coisas boas,quando queria mesmo era dar um tapa na cara ou a porta no nariz.
Nas vezes que disse que o tempo resolveria tudo quando queria mesmo era fazer o maior barraco.
Nas vezes que perdoei uma dívida quando queria chamar o tal "amigo" de folgado;nas vezes que fiz de conta que não entendi um desaforo quando queria mostrar para o atrevido onde era o seu quadrado.
Cheguei numa idade mental em que me recuso a viver para ser "a boazinha".
Descobri,do modo mais doloroso possível,que a pessoa "boazinha" esconde uma prepotência e onipotência absurdas.
Ela tem a ideia fixa de que está acima das dores que os outros podem causar,acima das suas vontades saudáveis ou não;acima do que a faz feliz,mas não é politicamente correto.
A boazinha faz tudo o que ela acha que o mundo espera de alguém maravilhoso,o que,invariavelmente,tem um custo enorme e ela,no final,sempre fica com a fatura.
Não sou mais boazinha.
Sou um ser humano.

Lucy Rocha

P.S. Este é um texto pessoal,não escrito para esta página,mas que em muito define o perfil da pessoa que se envolve com narcisistas.Dizer não,impor limites e permitir-se é preciso e é saudável,acredite.

(fonte:www.facebook.com/NarcisismoPatologicoERelacoesToxicas)

Fraternos Abraços

Um comentário:

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços