quinta-feira, 2 de julho de 2015

A Vaidade


Em tua passagem pelo mundo,não cultives jamais a vaidade.
A vaidade empobrece teu espírito com preocupações vãs
O vaidoso quer ser admirado pelos outros,
Ele valoriza mais a visão coletiva de si do que a sua própria.
A vaidade é apenas uma imagem que alguém quer transmitir para ser apreciado e estimado.
Que forma fútil de se conquistar o amor!
O vaidoso vive pela imagem,e não pelo que guarda em seu âmago.
Quer sempre fazer parecer,e dessa forma,ele se isenta de simplesmente ser.
É o predomínio da imagem sobre a essência.
Em algum momento, terás que se perguntar:
Quero plantar imagens e colher decepções,ou quero plantar a essência e colher realidades?
O vaidoso vê a vaidade em todos os vaidosos,mas nunca vê a sua própria.
É mais fácil enxergar no outro do que em si mesmo.
Vaidade e amor próprio são frequentemente e erroneamente confundidos,
Posto que o vaidoso quer sempre modificar algo em si,
E aquele que cultiva o amor próprio se aceita e se ama.
O vaidoso busca o progresso sem ter méritos,
O humilde entende que o progresso é um resultado natural do mérito e do esforço.
O vaidoso quer estar sempre por cima,e despreza aqueles que ele vê por baixo.
Aqueles que o ameaçam,por mérito próprio,ele procura rebaixar e desdenhar.
O vaidoso quer ser apreciado e considerado,e se irrita quando outros se vangloriam em seu lugar.
"Eu deveria ser exaltado,e não ele",pensa ele.
A vaidade vive de rótulos,de formas,de imagens,
É como degustar a casca da banana e jogar o restante fora.
Quem vive de imagens,não vive de verdade;
Preocupa-se mais com a visão de outros sobre sua vida,do que com sua vida em si mesma.
A roupagem dá boa impressão inicial,mas o que será mostrado com o tempo?
Pessoas vaidosas falam muito,mas ouvem pouco;
Interessam-se demasiado por suas experiências,mas pouco valor dão as experiências alheias.
Mal sabe o vaidoso que o mesmo desprezo que ele tem pelos outros,outros têm por ele e por sua vaidade.
Regozija-se em enaltecer seus feitos,mas é cego em reconhecer os feitos de outrem.
Purifica tua mente e teu coração de toda a vaidade,pois a imagem é tão efêmera quanto as ondulações de um rio.
Compreende que ninguém controla sua própria imagem,e outros vão pensar o que quiserem de ti.
O povo é volúvel e paradoxal,cada hora pensa uma coisa.
Desista de cultivar tua imagem perante outros,o amor do público só vem naturalmente de um coração puro.
Desapega-se,dessa forma,do desejo de conservar uma imagem impecável.
Além de ser impossível de mantela,gastarás toda a tua vida perseguindo uma sombra,
Acende,portanto,uma luz,que ilumina e traz verdade a tua vida.

Hugo Lapa

Fraternos Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços