sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Você diz que será feliz amanhã...mas,e se não der tempo?


Sabe aquele dia que você é pego de surpresa sobre a morte de alguém? Não importa o quanto a pessoa seja próxima ou não, começamos a pensar em inúmeras coisas. Você vem, constrói uma vida, idealiza sonhos e de repente, não esta mais aqui! As lembranças ficam vivas nos primeiros anos, mas elas desaparecem. Os objetos mudam de lugar, o cheiro deixado nas roupas se perdem e chegará um dia que só se lembrarão por causa de algumas fotos antigas jogadas em algum canto empoeirado.

As pessoas nascem, boa parte delas não são resultados de amor e de planos, são apenas acidentes. Uma noite de porre, algumas garrafas de bebida, um pouco de estresse, vontade de sair da rotina e surge um acidente. Um ser indesejável, ali começando sua vida. Talvez o erro comece por ai, mas o assunto é bem mais complexo do que se parece. Acidente ou não: Nascemos! Estamos exatamente aqui agora e nada muda isso. Estamos aqui tentando não nos afogar em todos e tantos sonhos que construímos e se quer conseguimos alcançar metade. Injusto? Não sei!

Estamos aqui, em frente ao nosso espelho ajeitando nosso cabelo e vestindo aquela roupa padrão que a sociedade nos impôs. Estamos segurando nossa cintura e pensando porque não temos aquele corpo perfeito da mulher da novela. Então, respiramos fundo o bastante para nossa barriguinha parecer negativa, e nem percebemos que negativa mesmo é nossa vida em torno dessa balela feita por nós; para nós. Nem percebemos que ao longo dos anos perdemos amigos e os melhores amores, não por causa dessa onda enfeitada de destino, mas por culpa nossa mesmo. Pelo apego ao que queriam que nós fossemos, por não nos darmos a chance de sermos nós mesmos, por não darmos a chance do outro saber o quão original nós somos. Mas e se no fim nós formos exatamente o que eles idealizam?

Sabe o que aprendo bastante quando o assunto é morte? Toda vez que alguém vai comentar do individuo, sempre diz: “Ele queria tanto casar, ser feliz, viajar, conhecer Paris. Estava planejando trabalhar menos, e focar mais na vida.” E PORQUE NÃO FEZ? Porquê? Eu meu pergunto, porque deixar o trabalho corroer toda a nossa saúde e humor? Por que não nos dá ao luxo de acordar mais cedo, apreciar o sol, passar um final de semana numa fazenda? Por que não nos dar ao luxo de estar perto de quem amamos? De curtir, sabe CURTIR? Não estou falando de curtir o status do seu amigo na rede social dele, estou falando de curtir ele! Curtir sua família, perceber que sua filha perdeu um dentinho da frente e esta toda boba com isso, ou que seu filho esta gostando da coleguinha de classe e não sabe como dizer. Ou que seu melhor amigo precisa muito conversar, mas não acha espaço para se abrir com você.

Estamos sempre adiando o amor, por medo, falta de tempo, trabalho, mas e se essa mulher já tiver recebido violetas, quando você chegar com um buque de flores? E se não der tempo de dizer que a ama? E se não houver pausa para pedir perdão? E se o seu filho já tiver aprendido a se resolver sozinho quando você perceber que esteve distante demais? Entende?

Se eu pudesse dar uma lição de vida a cada texto que escrevo, seria essa: “O tempo é cruel, na mesma medida que é bom, ele pode melhorar as pessoas ao longo dos anos, assim como pode piora-las. Ele pode ser o resultado de um casamento reatado, assim como pode ser o resultado de um casamento desfeito.” Percebeu? O tempo é poderoso, mas este poder esta em nossas mãos. Nós decidimos o que o tempo vai valorizar ou desgastar. Nós decidimos o que faremos amanhã.
A vida é uma raridade, que não pode ser perdida…Você pisca, quando abre os olhos já perdeu metade da vida. E ai?

___
Escrito por Kelly Soares – Via Obvious

(fonte:thesecret.tv.br)

Saudações 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grata pelo contato.
Responderei brevemente.
Fraternos Abraços